Minha jornada rumo à independência financeira

alce

Sou um raro felizardo. Tenho 27 anos, tenho um emprego na minha área de formação, no qual me sinto constantemente desafiado – mas numa intensidade saudável -, e que me propicia aprendizados diversos todos os dias. O salário é plenamente satisfatório para quem tem um estilo de vida simples como o meu. Possivelmente esse é o sonho profissional da maioria da população brasileira.

Mas eu mal posso esperar para me aposentar.

Esse meu plano já me rendeu algumas reações interessantes: “Mas você teve toda uma formação acadêmica exemplar para trabalhar somente 20 anos?”, “Como você vai arranjar os R$ 2 milhões para ter uma aposentadoria segura?”, dentre outras. O choque é ainda maior quando eu falo que amo meu trabalho.

Se eu amo meu trabalho, por que quero me afastar dele tão cedo? A resposta é simples: eu amo outras coisas mais do que o meu trabalho. Eu não quero precisar do meu trabalho, nem quero depender da venda do meu tempo – da minha vida – para conseguir viver. Quando isso acontecer, terei alcançado minha independência financeira.

Esse pensamento brotou ao ler o blog do Mr. Money Mustache, que é o principal “muso inspirador” deste meu blog. Não lembro exatamente em que post ele fala sobre essa motivação inicial, mas em algum lugar ele afirma que “uma das principais perguntas que você deve fazer a si mesmo é: o que você faria se não precisasse mais trabalhar para viver?”. Quando me fiz essa pergunta, rapidamente surgiram diversos interesses interrompidos pela falta de tempo: evoluir no violão, aprender um instrumento de sopro, evoluir na marcenaria, aprender a fazer “trabalhos de pedreiro”, dedicar-me mais a atividades físicas, dentre tantos outros. Mas mais importante do que tudo isso, quero atingir a independência financeira para poder estar perto dos meus futuros filhos.

O caminho é longo e difícil, mas certamente divertido. Previsivelmente, os dois pilares são:

1) Ganhar mais dinheiro: para isso, tenho que ter um emprego bem remunerado e aprender a investir de forma rentável. As coisas podem se tornar ainda mais divertidas se você desenvolver algum hobby que tenha algum retorno financeiro;

2) Reduzir as despesas: esse passo é importantíssimo, e será o principal foco deste blog. Reduzindo as despesas ao máximo, sobra mais dinheiro para investir. Quando falo em reduzir as despesas, estou dizendo para poupar, no mínimo, 30% do seu salário, e colocar tudo isso em investimentos de bom rendimento (no momento, o Tesouro Direto ainda é uma ótima opção). Esqueça aquele papo de conselheiro financeiro mainstream de “poupe 10% do salário e fique milionário aos 80 anos”. De acordo com os cálculos do Mr. Money Mustache, se você poupar 40% do seu salário mensalmente, você poderá se aposentar após 22 anos de trabalho.

Antes de ter contato com a literatura da independência financeira, eu poupava somente cerca de 10% a 15% do salário, e ficava satisfeito, pensando que estava seguindo as melhores práticas financeiras. Como era newbie!

A jornada rumo à independência financeira é um ótimo exercício para revisitar e corrigir todos aqueles nossos hábitos espúrios e nocivos. Mas o que importa é que é extremamente divertido fazer essa autoanálise – e, a partir disso, analisar os hábitos espúrios e nocivos dos outros também! O que pode ser mais divertido do que refrescar a própria mente com o objetivo de comprar a própria liberdade em alguns anos? Nada!!!

Mas ainda estou no começo da minha jornada. No momento, estou poupando quase 60% do meu salário, que é de R$3200 mensais. Fico olhando para minha planilha de acompanhamento dos custos tentando ver onde posso espremer mais algumas dezenas de reais para aumentar ainda mais essa porcentagem, mas no momento está difícil viver com menos de R$1300 por mês, sendo que R$700 são só para o aluguel. Então estou na etapa de procurar como ganhar mais dinheiro: pedi um aumento salarial, que está sendo analisado, e estou avaliando diversos outros hobbies potencialmente lucrativos, como marcenaria, trabalhos de pedreiro e alguns freelances diversos. O importante de manter os custos sempre no mínimo é que qualquer acréscimo financeiro será integralmente encaminhado aos meus investimentos.

Espero que este breve post também te convença a vir para o Caminho da Luz e da Liberdade. Seja um Hacker da Vida você também! Vamos juntos? Primeiro você tem que responder para si mesmo: o que você faria se não precisasse mais trabalhar para viver?

2
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
frugalidadehackeraprendiz de burguês Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
aprendiz de burguês
Visitante
aprendiz de burguês

Olá, hacker, fico feliz que tenha despertado tão cedo para o lado “forte” da força. Tenho 38 anos e comecei a pensar em hackear a vida apenas no ano passado… tremendo desperdício. Arrependo-me amargamente dessa situação, pois tenho um bom emprego (para os padrões brasileiros) desde os 20 anos, ou seja, já poderia ter quase 18 anos de acumulação de patrimônio, e estar muito perto da independência financeira… É incrível como pensar seriamente sobre finanças transforma nossa vida e nossa relação com as coisas. Infelizmente isso não é nem de longe valorizado em nossa educação – talvez de propósito? Mas… Read more »