Por que eu prefiro ter um celular simples e pequeno

chave_sienaDia desses, meu pai estava bem chateado porque a chave do carro dele (Fiat Siena) se desprendeu daquela estrutura que também tem os botões do alarme, e a chave aparentemente sumiu, atravessou ao Outro Lado. Ou seja, ele ficou com um alarme sem chave. Veja na figura que essa chave é extremamente complexa: ela fica normalmente embutida e, ao apertar um botão, a pressão de uma mola é liberada e a chave finalmente aparece para realizar a missão da sua vida: Abrir-nos Portas. A parte que realmente abre portas fica presa à estrutura por meio de uns pequenos dentes metálicos; provavelmente esses dentes estavam gastos* e, por isso, a chave pulou fora.

* O carro dele deve ter uns 3 anos de uso, e foi comprado zero.

Por que cargas d’água essa chave não é igual a todas as outras chaves tradicionais?, com sua estrutura totalmente maciça, sem frescuras como aquele botão?

Parece-me que essa complexidade tentou resolver um problema absolutamente inexistente. Pior: acabou criando mais problemas ainda.

Mas é fácil entender por que as empresas escolhem esse tipo de complexidade. Como diz meu guru de independência financeira, Jacob do Early Retirement Extreme, neste texto, para continuar lucrando num ambiente crescentemente entrópico, complexidade & interconectividade devem aumentar. Ambos os fatores contribuem para aumentar a diferenciação do produto num cenário capitalista altamente competitivo.

Certamente a chave do Siena é mais conspícua, chama mais atenção do que uma Chave Comum. Mas aquela é muito pior do que esta; é muito mais frágil; é muito mais difícil de lidar (compare a gestão de uma cadeia de produção de coisas complexas & interconectadas com a produção de coisas simples) e, portanto, muito mais difícil de manter a qualidade.

E isso está totalmente alinhado com a razão pela qual eu tenho o mesmo celular há 8 anos*. Ele tem 3,5 polegadas, espessura de mais de 1cm e memória RAM insuficiente para reproduzir vídeos em tempo hábil. Custou-me uns R$200 quando comprei usado no Mercado Livre.

* Na verdade, fui assaltado uma vez nesse período, mas comprei outro celular igual.

Orgulhosamente, listarei a seguir os benefícios que tenho ao circular por esse Mundo Vil com meu tijolinho digital:

– Sem medo de assalto;
– Sem perda de produtividade por causa de vídeos;
– Maior robustez a quedas;
– Bateria que dura muito tempo;
– Aparelho arremessável de autodefesa.

Certamente há muito mais vantagens que não lembrei aqui. Tudo isso devido à escolha consciente de abrir mão da complexidade. Além disso, minha formação como engenheiro eletrônico também me empurra para a direção da simplicidade. Eu sei que celulares finos, com câmeras potentes, telas gigantescas, uma tonelada de RAM e um bilhão de GHz de processamento exigem uma circuitaria muito mais complexa para lidar com a dissipação do calor e a sincronização dos sinais. Isso invariavelmente reduz a vida útil do aparelho, e aumenta significativamente a probabilidade de falhas irrecuperáveis.

É incontável a quantidade de pessoas que tiram onda com meu celular, especialmente pelo fato de eu trabalhar com tecnologia de ponta. Pois eu penso em como a dependência da complexidade fragiliza o indivíduo; como uma pequena falha na gestão da linha de produção do iPhone 1000Xyz pode ter um impacto tão grande no fluxo de caixa e no psicológico do indivíduo.

Na medida do possível, eu escolho viver longe da complexidade. Prefiro me ater às coisas que realmente funcionam, que sempre funcionaram e que ainda funcionarão por muito tempo.

8
Deixe um comentário

avatar
4 Comment threads
4 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
5 Comment authors
frugalidadehackerRycaInvestidor Inglêsaprendiz de burguês2003 Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
2003
Visitante
2003

Boa.Por isso que comprei meu Huawei Honor 6X nos EUA por 200 trump há 3 anos e nao podia estar mais feliz. Iphone NEVER

aprendiz de burguês
Visitante
aprendiz de burguês

Interessante teu ponto de vista. Não sei se conseguiria fazer o mesmo, mas… no mínimo acho que devemos adquirir a ‘escravidão da complexidade’ de forma consciente… o que não parece mesmo ser o padrão de hoje .

Investidor Inglês
Visitante

Autodefesa! hahah boa Frugalidade!

Apesar de concordar com você, confesso já ter entrado no ebay atrás de um iphone barato rs. Alias, fiz isso esses dias.

O bom é que até hoje não cai em tentação.

Por outro lado, se não fosse por um descuido meu, e também por ter ganho um cel do meu pai, estaria utilizando meu Lumia até hoje.

E falando em celular, chuto que possui um Nokia.

Ryca
Visitante

hahah lembro do meu professor de fundamentos de informática que “ainda” usava um motorola pt-550 (o primeiro celular de todos, se não me falha a memória) quando os Nokia 5125 já eram modinha (e todo mundo jogava o “jogo da cobrinha” e mandava SMS a rodo) e já era zoado por isso…