Meus investimentos (setembro, 2018)

O fechamento de setembro contou com aportes referentes a agosto e setembro – faço aportes bimestrais para o TED valer a pena*. Como consigo poupar R$1900 por mês, foram R$3800 de aporte, acrescidos de mais R$500 de trabalhos paralelos e R$300 de presente de aniversário do meu padrasto.

O aporte totalizou quase R$4600.

A cada post de fechamento, pretendo informar o rendimento da carteira no mês. É bom pra ter uma ideia a respeito da segurança da taxa segura de retirada (TSR) quando chegar o Grande Momento da Aposentadoria Precoce. [...]  leia mais

Como tornar seu investimento antifrágil?

love_disorderNo texto anterior, discorri brevemente sobre a filosofia da antifragilidade, conceito introduzido por Nassim Taleb no livro Antifrágil. Basicamente, tudo aquilo que pode se beneficiar do caos é antifrágil – o oposto de frágil, que se esfacela à primeira contrariedade.

Mas como podemos aplicar isso ao mundo dos investimentos?

Primeiramente, um disclaimer. Eu aplico a filosofia antifrágil em praticamente todas as áreas da minha vida, mas ainda não a utilizei no campo dos investimentos, principalmente porque não estou disposto a utilizar meu tempo livre em investimentos ativos. Apesar disso, acho que esse conhecimento pode agregar valor aos nossos processos decisórios enquanto investidores. [...]  leia mais

O que é antifragilidade?

antifragileHá coisas que se destroem ao mínimo sinal de agitação, pressão, estresse ou contrariedade. Um vaso de porcelana, por exemplo, precisa ser transportado com muito cuidado para não sofrer avarias. O vaso é, portanto, frágil.

Por outro lado, há coisas que conseguem suportar toda essa contrariedade. Uma mesa de madeira maciça dificilmente se esfacelará, mesmo sob fortes forças contrárias. A mesa é, portanto, robusta.

Conceitualmente, vemos que o robusto não é exatamente o contrário de frágil. O frágil se enfraquece com o estresse, enquanto o robusto suporta o estresse. O oposto do frágil seria, portanto, aquilo que se fortalece com a aleatoriedade: o antifrágil. Por exemplo: as flores, como uma espécie, se fortalecem em cenários incertos. Ventos fortes espalham seu pólen; ventos fracos favorecem o espalhamento pelos pássaros; chuvas estimulam estimulam seu crescimento; sol lhes dá energia (via fotossíntese). [...]  leia mais

Meus investimentos (agosto, 2018)

Como é de praxe nos blogs de finanças pessoais, vou começar a falar um pouco sobre o andamento dos meus investimentos.

Comecei a investir em 2016, quando a taxa SELIC estava altíssima (cheguei a ter uns prefixados do Tesouro Direto uns 16% ao ano!). Como a rentabilidade estava boa naquela época, eu só investia no Tesouro Direto mesmo. Com a queda dos juros, tive que diversificar.

No momento, tenho pouco menos de R$ 40k investidos em TD, CDBs e ações*.

* Depois de fazer as tabelas, percebi que somei apenas os valores investidos, sem contar com os rendimentos… Na prática, o total é pouco mais de R$ 40k. [...]  leia mais

Guia econômico alimentar para quem mora só

congeladorSe você precisa de comida e de dinheiro para sobreviver, este texto é pra você. Sua jornada em direção à Independência Econômico-Alimentar (IEA) está prestes a começar.

Sabe aqueles seus colegas de trabalho que almoçam fora todos os dias?, sabe aquelas propagandas de pessoas felizes compartilhando sanduíches na McDonalds?, sabe aqueles restaurantes que vendem comida “fit”? Pois é, na maioria das vezes, todos eles são péssimos exemplos pra você atingir a IEA, tanto em termos econômicos quanto alimentares/nutricionais. [...]  leia mais

A força de vontade te deixa mais fraco

halteresMinha rotina alimentar normalmente é muito rígida, quando comparada a rotinas comuns: zero glúten (ou seja, zero trigo, cevada, centeio, dentre outros), quase zero derivados de leite (só incluo manteiga, e, às vezes, algum sorvetinho), poucas lectinas* (ou seja, pouco arroz, feijão, milho, soja, batata, dentre vários outros). Espera-se, portanto, que eu seja dotado de uma força de vontade descomunal para aguentar uma rotina desse tipo. Como é que eu consigo viver sem arroz e feijão, sem batata? Só posso ter sido O Escolhido para congregar a força de vontade que falta em 50% da população mundial. [...]  leia mais

A origem de toda a fraqueza

terraAcredito que já falei por aqui sobre como se Divertir e se Desenvolver pra Valer, correto? Caso alguém ainda tenha dúvidas, a real fonte de Diversão e Desenvolvimento é Hackear a Vida. Felizmente, todos nós nascemos com certa expertise próximos nessa habilidade, quando exploramos incessantemente o ambiente (“tira o dedo da tomada!”), desenvolvemos argumentação lógica incontestável (“a mãe do Enzozinho sempre deixa ele botar o dedo na tomada…”) e aprendemos o valor do trabalho duro (“tomei meu copo de leite de amêndoa, cadê meus R$2?”). [...]  leia mais